GoFusion

Quais serão as mudanças mais prováveis nas cadeias de suprimentos causadas pela crise do COVID-19?

Artigo

05 Nov 2020   |   por Guilherme Barros

A pandemia trouxe muitos desafios para as pessoas físicas e também para as empresas, mas quais serão as mudanças mais prováveis na cadeia de suprimentos causadas pela crise do Covid-19?

São muitos os desafios que exigem que a gestão seja cada dia mais bem organizada e, com relação à logística a redução dos custos e a economia de escala têm sido os focos principais.

Veja a seguir mais informações sobre os impactos que já são visíveis atualmente e quais são as próximas mudanças mais prováveis nas cadeias de suprimentos.

As principais mudanças da pandemia nas cadeias de suprimentos

Com a chegada da pandemia de Covid-19 muitos questionamentos têm sido feitos no que diz respeito às cadeias de suprimentos, visto que as mudanças são urgentes para que muitas empresas possam se manter em meio à crise.

A necessidade crescente por suprimentos médicos mostrou ao mundo que uma produção concentrada em apenas um local pode provocar grande comprometimento da disponibilidade diante de situações mais delicadas e inesperadas.

Apesar de esse caso ser especial, ele se aplica a qualquer outra empresa com relação aos seus fornecedores de matéria prima.

Por isso observa-se já que existe uma grande tendência de revisão e ampliação da rede de fornecimento, dando-se preferência àqueles mais próximos e de fácil acesso.

Situação dos pequenos e médios fornecedores

Apesar de haver a busca por fornecedores mais próximos, observa-se que muitas empresas locais foram atingidas por perdas enormes ocasionadas pela crise.

Como muitos deles não possuem reservas financeiras muito boas, tem sido cada vez mais comum observar empresas falindo e fechando as suas portas.

Diante do cenário citado percebe-se facilmente que as cadeias de suprimentos deverão passar por revisão e modificações compatíveis com as necessidades atuais para que não haja prejuízos.

O que muda para os compradores?

Com relação aos compradores, o maior desafio tem sido justamente fazer a diversificação da cadeia de suprimentos, sem que isso represente aumento dos valores dos seus produtos ou redução da qualidade deles.

Existem ainda fatores que contribuem para esse tipo de mudança, sendo os principais:

Avanços tecnológicos substituem a mão de obra;

Longos prazos de importação;

Menor flexibilidade.

Dessa forma se a regionalização já era uma tendência anteriormente, com os riscos de desabastecimento isso se intensificou ainda mais.

Apesar de uma das mudanças mais prováveis ser essa desconcentração, os mercados ainda continuarão globalizados, visto que a dependência entre os países não será alterada.

O uso de tecnologias para melhorar a eficiência da cadeia de suprimentos

Diante do atual cenário será imprescindível que sobretudo os fornecedores atuem de maneira intensa, reavaliando os seus processos produtivos.

O principal intuito disso deve ser a redução dos custos das operações, por meio da eliminação de desperdícios.

Isso é fundamental para que as empresas se mantenham competitivas e tenham inclusive vantagens diante dos seus concorrentes.

Visto isso ferramentas como o GoFusion podem ser adotadas visando uma maior eficiência de todas as etapas, inclusive de transportes, para que haja redução de desperdícios e custo de maneira geral.